NadaFrágil.com.br

As modelos plus size fazem bem à saúde!


Fabíola Cunha

A existência e popularidade das modelos plus size faz bem! Um estudo da Universidade da Flórida demonstrou que mulheres prestam mais atenção e se sentem bem ao visualizar modelos que têm um corpo normal ou mais cheinho.

modelos plus size

O estudo também concluiu que mulheres se lembram de mais detalhes sobre essas modelos. Também se comparam menos com mulheres que possuem proporções mais realistas. O estudo envolveu 49 mulheres em idade universitária.

Modelos plus size: como foi feito o estudo?

modelos plus size

Todas se consideravam com peso normal, mas desejavam ser mais magras. A elas foram mostradas diversas imagens de modelos. Previamente, as modelos foram classificadas pelos pesquisadores: magras, normais ou plus size. As modelos plus size aparentavam ter sobrepeso ou serem obesas, mas nenhuma era obesa mórbida.

modelos plus size

Depois que as mulheres participantes observaram cada imagem, elas tiveram que categorizar. Isso ocorreu com base no biotipo, classificando o quanto atraente e agradável eram percebidas. Também indicaram o quanto se compararam com as imagens.

modelos plus size

As mulheres também responderam perguntas sobre satisfação com o próprio corpo e se pretendiam comprar o item de vestuário usado pela modelo. Essa última pergunta foi uma forma de distrair as participantes do verdadeiro motivo da pesquisa, para não influenciar as respostas.

Quais foram os resultados?

modelos plus size

Quanto mais magras as modelos, mais as participantes se compararam com elas. Também prestaram menos atenção e se lembraram menos sobre as modelos. Também relataram uma satisfação menor com o próprio corpo.

modelos plus size

Esse último item os pesquisadores relacionaram com prejuízos para a saúde mental. Quando as participantes viram mulheres normais ou plus size, prestaram mais atenção. Também se lembraram mais e fizeram menos comparações.

Por fim, relataram maior satisfação com o próprio corpo. Mesmo assim, todas admitiram que ainda queriam ser mais magras.

Os autores do estudo relataram que há uma vantagem clara em expor corpos de biotipo não ideal em campanhas midiáticas. Incorporar modelos mais realistas beneficia a saúde no geral.

O estudo deve ser reaplicado com pessoas de gêneros, idades, etnias e visões diferentes. O estudo também é interessante para mulheres que desejam emagrecer. Isso porque mostra a influência de imagens de corpos realistas versus corpos ideais.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira nossa matéria com looks para quem tem pernas grossas!

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *