NadaFrágil.com.br

O que o enjoo matinal pode dizer sobre o sexo do seu bebê


Fabíola Cunha

As mulheres grávidas sabem que o enjoo matinal faz parte dos sintomas sentidos nesse período. Porém, a hiperêmese gravídica é uma forma mais grave dessa condição, e a mulher pode inclusive necessitar de hospitalização.

enjoo matinal

Sintomas

A Duquesa de Cambridge, Kate Middleton, sofreu desse problema em suas duas gestações. Ela precisou ser internada no início da gravidez do filho mais velho, George, tamanho a seriedade de seu quadro.

Os sintomas são vômitos várias vezes ao dia, impedindo que seja realizada a alimentação adequada – líquida ou sólida. Por isso, o ganho de peso fica abaixo dos 7kg e ocorre, inclusive, emagrecimento. Boca seca, fraqueza e desconforto são constantes. Os medicamentos comuns para enjoo não funcionam.

Confira também o nosso artigo sobre os sintomas da gravidez.

Meninas

Agora, um estudo realizado em 1,65 milhão de mulheres grávidas na Suécia, por pesquisadores da Columbia University descobriu uma relação entre a hiperêmese gravídica e o sexo do bebê. Mulheres que sofrem desse problema terrível têm mais chances de ter meninas – 56% das mulheres com hiperêmese gravídica tiveram meninas.

A condição é bem pior que os enjoos matinais comuns, deixando muitas mulheres de cama ou hospitalizadas por desidratação. Algumas chegam a perder 10% do peso corporal.

enjoo matinal

Possíveis causas

Os enjoos comuns e a hiperêmese são causados pelo hormônio HCG, que está presente na placenta. Mulheres grávidas de gêmeos têm mais chances de desenvolver o problema, pois têm placentas maiores.

Ajuda médica

Por motivos óbvios, a mulher que sofre desses sintomas deve procurar o médico que a está acompanhando desde o início da gestação.

No caso de desidratação, a internação pode ser acompanhada de jejum e os nutrientes serem repostos por via venosa, bem como a aplicação de medicamento do mesmo tipo usado por pessoas em tratamento quimioterápico para controlar os vômitos.

enjoo matinal

A internação pode ser necessária para reverter o quadro de desidratação, que além de prejudicar o organismo da mulher, pode levar ao nascimento do bebê abaixo do peso e até parto prematuro.

Prevenção

Não há como prevenir que a hiperêmese gravídica ocorra, mas é de praxe que o obstetra recomenda uma dieta fracionada à gestante no início da gravidez. Comer a cada 3 horas, pequenas porções, sem manter longos períodos em jejum nem fazer refeições muito pesadas e gordurosas é a regra.

Estima-se que 1 a cada 100 gestações sejam acompanhadas do problema, que pode durar de 8 a 20 semanas.

Já sofreu de hiperêmese gravídica? Deixe seu comentário abaixo!

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *