NadaFrágil.com.br

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica


Calila Galvão

Infelizmente, a fonte da juventude ainda não foi encontra e se foi, não está ao nosso alcance. O que nos resta é conseguir manter uma rotina de vida saudável para cuidar bem da pele: comer alimentos nutritivos, praticar exercícios físicos, usar protetor solar de qualidade todos os dias e investir em alimentos que promovam a formação de colágeno como aqueles que possuem vitamina C.

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Veja quais são os 5 melhores tratamentos para rugas.

E para aquelas que já praticam tudo isso (e mesmo as que não praticam, mas deveriam hehehe…), a medicina estética sempre tem algo para poder ajudar a mulher a conseguir uma pele mais jovem e melhor a autoestima e a saúde como um todo. É por isso que vamos falar agora do peeling químico.

O que é o peeling químico?

Quando a nossa pele já está bastante desgastada pela ação do sol, poeira, má alimentação e outros fatores, ela se apresenta sem vida, com manchas e cheia de linhas de expressão, além das rugas é claro. Um forma de fazer a pele ficar mais jovem é promovendo a síntese de uma nova pele.

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Basicamente, este é o objetivo do peeling químico. Ele remove camadas superficiais da pele através do uso de uma solução química e, com isso, acaba promovendo a produção de novas células epiteliais e mais colágeno. Esse tratamento é usado com maior frequência no rosto, mas também pode ser aplicado em outras partes do corpo.

Com o peeling químico é possível tratar diversos problemas: sardas, rugas, acne, cicatrizes, machas senis, parte da pele danificadas pelo sol, pigmentação irregular e pele áspera e que descama.

Saiba tudo sobre o tratamento com Dermaroller.

Como funciona o peeling químico

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Um profissional irá aplicar, diretamente na sua pele, as soluções químicas devidamente misturadas e assim, consegue remover as camadas mais externas do tecido epitelial. Os produtos mais comumente utilizados são:

  • ácido alfahidróxidos;
  • ácido tricloroacético;
  • fenol;
  • ácido betahidróxidos;
  • ácido maleico;
  • ácido salicílico;
  • ácido lactico;

Há diversos tipos de peeling químico: os superficiais, os médios e os profundos e tudo vai depender do problema a ser tratado. Quem analisa e diz qual é o melhor tipo para você é o profissional que realizará a aplicação e fará o tratamento.

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

É também o profissional que estabelecerá a quantidade de sessões necessárias para conseguir alcançar o objetivo do tratamento. Cada sessão tem duração média de 20 minutos podendo variar alguns minutos para mais ou para menos de acordo com a mistura feita das substâncias químicas.

Após o tratamento

Essa pode ser a parte mais desagradável do seu tratamento. Depois de poucos dias após a sessão a sua pele começará a descamar e esse processo tende a durar cerca de 7 a 10 dias e depende das substâncias que foram aplicadas.

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Durante esses dias, tente passar a maior parte do tempo em casa para não expor a nova pele ao sol que ainda está bastante sensível tanto aos raios UVA quanto UVB. Portanto, programe-se antes de começar o procedimento. O ideal é que ele seja feito no período de férias. Mesmo em casa se faz necessário usar protetor solar com fator de proteção acima de 30.

Fatores a se considerar durante a recuperação do Peeling químico

O procedimento é bastante seguro, mas, por conta da variação da pele brasileira, sempre há o risco de ocorrer alguma anormalidade. Para reduzir esses riscos, o ideal é que o procedimento seja realizado dentro de uma clínica equipada e por um cirurgião plástico.

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Podem ocorrer cicatrizes ou infecções e para pessoas que tenham tipos de pele específicos pode ocorrer a alteração da cor da pele de forma transitória ou permanente. O uso de anticoncepcionais (que já são famosos por manchar a pele) e histórico familiar de mudança na coloração da pele pode prejudicar a recuperação.

Caso você já tenha tido herpes labial, informe ao seu médico logo na primeira consulta porque ela pode reaparecer depois do processo. Neste caso, ele lhe passará a medicação adequada para que isso não ocorra. Também o mantenha informado caso tenha histórico de formação de queloides.

Contraindicações do Peeling químico

Peeling químico: saiba tudo sobre essa técnica

Por mais que você tenha todas as indicações para fazer um peeling químico, esse procedimento pode não ser o mais adequado caso você apresente os seguintes fatores:

  • cabelo ruivo ou tenha pele clara e com sardas;
  • fez algum tipo de tratamento contra acne no último ano;
  • verrugas;
  • tem origem negra ou asiática;
  • possui histórico de cicatrizes;
  • apresenta pigmentação anormal;

Calma! Isso não significa que você não poderá aproveitar dos benefícios que a medicina estética pode te oferecer para te deixar mais jovem e com a pele mais saudável. Existem outros tipos de tratamento que podem ser também eficazes e não trazer transtornos durante ou após a recuperação.

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *