NadaFrágil.com.br

TDAH: como lidar com esse problema?


Eliana Lee

Algumas características mais destacadas no comportamento do seu filho pode ser sintoma de algo não está bem. A desatenção, a impulsividade e a agitação excessiva podem ser sinal de TDAH.

A sigla define o Transtorno do Déficit de Atenção, que pode vir acompanhado de Hiperatividade ou não. Antigamente, crianças com esse tipo de transtorno eram tidas apenas como “avoadas” e “desligadas”. Além de não serem bem aceitas ou compreendidas durante a idade escolar, aparentando desinteresse pelas atividades que os outros colegas desenvolviam normalmente.

Hoje em dia já se sabe que é possível tratar níveis mais graves de TDAH e também compreender melhor quem possui o transtorno, possibilitando à crianças uma melhora significativa em sua qualidade de vida e aceitando-a do seu modo de ser.

Hiperatividade

Sintomas de TDAH:

  • Não presta atenção em detalhes e comete erros por descuido.
  • Não “consegue” ficar sentada ou parada por muito tempo, sentindo-se desconfortável.
  • Mexe mãos e pés com frequência, mesmo quando está sentado.
  • Escorrega e deita-se em poltronas.
  • Pega objetos que estão próximos e troca os mesmos por outros, com facilidade.
  • Age como se estivesse “a mil por hora”, gosta de conversar e interrompe as conversas de outras pessoas por “não saber esperar” sua vez de falar.
  • Fica impaciente em filas e salas de espera. Gosta de correr, ao invés de andar.
  • Quando gosta muito de uma atividade, concentra-se nela e parece não ouvir qualquer palavra que lhe dirijam.

TDAH em casa

Antes de tudo, vale lembrar que toda criança tem energia de sobra para gastar. Umas mais, outras menos, mas é absolutamente normal que uma criança brinque, pule, escale móveis e queira se divertir a maior parte do dia. Saber diferenciar a energia normal da hiperatividade é importante para estabelecer as bases do relacionamento com ela. Por isso, a ajuda profissional é muito importante. Converse seriamente com o especialista responsável e também com o pediatra, já que na imensa maioria dos casos, a criança não tem necessidade de tomar nenhum tipo medicação.

Hiperatividade

Existem também alguns testes, inclusive online que podem te ajudar a diferenciar uma “criança sapeca” de uma criança hiperativa. Após o resultado, leve a criança a um especialista e aproveite para tirar todas as suas dúvidas. Se seu filho já foi diagnosticado com TDAH, fica mais fácil definir situações, limites e também entendê-lo melhor. Algumas dicas incluem:

  • Lembre-se que cada criança é única e seu desenvolvimento é afetado pelo local em que vive. Se você também é uma pessoa agitada e que “não para”, é grande a possibilidade de seu filho ser da mesma forma.
  • Apoie seu filho e encha-o de carinho e atenção. Lembre-se também de possibilitar maneiras seguras de diversão e espaços para brincar.
  • Evite alimentos estimulantes como açúcar em excesso, doces concentrados, chocolates e refrigerantes, principalmente a base de cola.
  • Rotina é fundamental: estabeleça horários para dormir, comer, brincar e estudar. No começo vai parecer difícil, mas mantenha-se firme e paciente. Com o tempo, seu filho vai entender as regras e incorporá-las ao seu dia-a-dia. 

TDAH na escola

Hiperatividade

O TDAH pode interferir no bem estar social e também no aprendizado proporcionado pela escola. Converse com os professores e com os coordenadores de seu filho. Se possível, apresente os laudos já no início do ano letivo para que eles saibam o que fazer para possibilitar a interação do aluno com a classe.

Há estratégias próprias para que o aluno não fique ocioso ou desinteressado, por exemplo. Atividades diferenciadas e sentá-los na primeira fila são apenas algumas das estratégias. Por isso é fundamental que eles conheçam o histórico de seu filho para realizar seu trabalho.

Se, por acaso, foi a própria escola que solicitou exames detalhados e laudos, não demore a providenciá-los. Muitas vezes, não percebemos características e sintomas de transtornos desse tipo, mas os professores conseguem notar estes sinais. Portanto, se receber alguma notificação ou pedido da escola, atenda-o. Pelo sim, pelo não, vale a pena investigar. Assim ficará mais fácil tornar a vida escolar algo mais prazeroso e interessante para seu filho.

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta