Dieta para ficar com a Barriga Perfeita

GordinhasQuem já tentou todo tipo de dieta sabe o quanto é difícil perder a gordura abdominal. Para se desfazer dessa inimiga número um das mulheres é preciso mudas muito mais do que os hábitos alimentares. Não importa se você ganhou peso após a gravidez, porque tem uma fome insaciável ou se o seu metabolismo começou a desacelerar por causa da idade. A gordura abdominal não é o destino de ninguém e há solução para isso (além das cirurgias): é uma dieta simples, saudável e que funciona para todo mundo.

Muitas mulheres sabem o que é se olhar no espelho e – em vez de observar as características que as fazem bonitas – ver apenas as gorduras localizadas, em especial as da barriga. Primeiro, nós a encolhemos, mas ela se recusa a voltar à antiga forma, que era reta. Depois, fazemos tanto abdominal quanto o pescoço aguenta, mas a gordura continua lá. Ou então partimos para as dietas e o que acontece? Os seios diminuem, o rosto fica mais fino, os braços mais leves, mas o abdome continua lá, fora de forma.

Tipos de Gordura Abdominal

Gordura AbdominalHá dois tipos de gordura abdominal: a subcutânea e a visceral. A primeira pode ser definida – de forma não muito científica – como a gordura que se pode ver ou como a que se pode apertar. É a que está embaixo da pele. Ela está pelo corpo todo, seja mais ou menos espessa. Uma quantidade moderada de gordura subcutânea é essencial para a vida: é ela que evita que você morra congelado no inverno. Em grandes quantidades, no entanto, essa gordura atua como indicador visível de sobrepeso ou de obesidade, que causam diversas doenças.

  Saiba Tudo sobre a Lipoaspiração

O outro tipo de gordura, a visceral, é muito mais perigosa e difícil de se perder. Ela fica na região profunda do tronco e, por não ser “visível” como a subcutânea, é conhecida como a gordura oculta. Como esse tipo de gordura fica mais próxima do coração e do fígado, ela pode aumentar o risco de todos os tipos de doença – de problemas cardíacos e diabetes até câncer e mal de Alzheimer. O mais frustrante para quem quer emagrecer é que não importa quanta caloria você corte na dieta ou exercícios faça no dia a dia, ela ainda pode se acumular.

O único jeito de diminuir de forma definitiva as duas gorduras é ingerindo a gordura certa.

Ácido Graxo Monoinsaturado (AGMI)

Os benefícios da gordura monoinsaturada – encontrada no azeite de oliva, nas frutas secas e no abacate – são conhecidos há décadas. Existem várias revistas com dicas ou estratégias para aumentar a ingestão dessa gordura por meio de alimentação. Mas foi apenas, em 2007, que pesquisadores espanhóis realizaram uma pesquisa científica para comprovar que o AGMI ajuda a emagrecer. Comparando três dietas como o mesmo número de calorias, eles perceberam que apenas o grupo que ingeriu mais AGMIs conseguiu reduzir o acúmulo de gordura abdominal, em especial a gordura visceral.

As gorduras são uma importante fonte de energia alimentar. Elas ajudam o corpo a absorver vitaminas como A, D, E e K, mas nem todas as gorduras são iguais. As saturadas e as gorduras trans não são saudáveis. As primeiras estão encontradas em muitos alimentos de origem animal e no óleo de coco, no azeite de dendê e na manteiga de cacau. Já as últimas são conhecidas como hidrogenadas. Foram criadas por empresas que hidrogenam óleos líquidos para aumentar a vida útil dos alimentos.

  Alimentos que podem prejudicar sua dieta

Já as gorduras saudáveis são as monoinsaturadas (AGMIs), as poli-insaturadas e os ácidos graxos Ômega-3. Entre os alimentos com alto teor de gorduras poli-insaturadas estão óleos vegetais, como o de cártamo, o de milho, o de semente de gorassol e o de soja. Já o Ômega-3 está principalmente nos frutos do mar, como o salmão, a cavala e o arenque, mas também é encontrado nas nozes, nas sementes de linhaça, no óleo de semente de linhaça e, em menor quantidade, no óleo de canola. Em relação aos AGMIs, há cinco categorias dessa gordura: óleos; azeitonas; frutas secas e sementes; abacates; e chocolate amargo.

Quatro dias Contra o Inchaço

InchaçoPara começar a perder a barriga por meio dos AGMIs, é preciso realizar antes de tudo um período de estímulo para o metabolismo por meio do combate ao inchaço. Em quatro dias, você precisará ingerir alimentos e bebidas que ajudarão a reduzir a retenção de líquidos e a aliviar problemas digestivos, como gases e constipação, que deixam a barriga inchada. Ao perder alguns quilos de líquidos desnecessários, você ficará empolgada e mais confiante para manter uma nova rotina alimentar, mais saudável e duradoura. O plano de quatro dias foi criado para eliminar gases, sólidos pesados e excesso de líquidos. Nesse período, evite:

  • o saleiro, temperos baseados em sal e alimentos industrializados – a água é atraída pelo sódio. Se você consome muito sal, vai reter mais água. Cortar o sódio e aumentar a ingestão de água ajudará a trazer o seu corpo de volta ao equilíbrio;
  • excesso de carboidrato – diminua o consumo de massas, banana e pães;
  • comidas cruas que incham – coma apenas vegetais cozidos, porções menores de frutas secas sem açúcar e frutas conservadas no próprio suco;
  • alimentos gasosos – deixe de comer (por quatro dias) feijões, leguminosas, couve-flor, brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, cebola, pimentas e frutas cítricas;
  • mascar chicletes – quando mastiga chiclete, você engole ar, que fica preso no sistema digestivo e causa pressão, inchaço e expansão abdominal;
  • frituras – por serem digeridos mais lentamente, eles fazem com que você se sinta pesada e inchada;
  • polióis – substitutos do açúcar são encontrados em produtos como biscoitos, doces, barras energéticas de baixa caloria ou baixo teor de carboidratos. Esses alimentos causam gases, distensão abdominal, inchaço e até diarreia;
  • alimentos condimentados – comidas temperadas com pimenta preta, noz-moscada, cravo-da-índia, chili em pó, molhos picantes, cebola, alho, mostarda, pimentas frescas, molho barbecue, raiz-forte, catchup, molho de tomate ou vinagre podem estimular a liberação de ácidos estomacais que podem causar irritação no seu sistema digestivo;
  • bebidas gasosas – todas aquelas bolinhas se acumulam na sua barriga. Deixe de beber esses líquidos e você terá menos inchaço;
  • álcool, café, chá, chocolate quente e sucos de frutas cítricas – essas bebidas muito ácidas podem irritar o seu sistema digestivo causando inchaço.
  Alimentos para evitar quando se está doente

Separei mais esses conteúdos para você:

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui