Nidação – Descubra o Que é e Quais São os Sintomas

Você ainda não sabe tudo sobre nidação? Quer aprender mais sobre este importante período na vida de todas as mulheres? Então não deixe de acompanhar o nosso artigo de hoje. Pois nele vamos lhe apresentar informações valiosas sobre o que é, quais são os sintomas e outras mais dúvidas que possam surgir ao longo de sua leitura.

Acompanhe tudo na matéria a seguir e fique por dentro deste importante assunto do universos feminino.

Tudo sobre nidação

Saber tudo sobre o período inicial de uma gravidez é o primeiro passo para buscar o auxílio necessário para a sua saúde e o seu bem estar. Assim você já terá todos os subsídios essenciais para levar a sua gravidez adiante com conforto. Acompanhe para saber mais.

nidação

O que é nidação?

A nidação nada mais é do que a implementação do embrião no útero da mulher. Ou seja, trata-se de um processo que acontece uma semana após o período ovulatório, que caracteriza, desse modo, a fase inicial de uma gestação.

Vale lembrarmos, deste modo, que o nosso sistema reprodutor feminino possui os ovários, que são responsáveis pela geração dos óvulos, e as tubas uterinas, que são responsáveis por transportar os óvulos. Quando transportados, os mesmos atravessam toda a superfície do ovário, até chegar a cavidade uterina.

A partir disso o útero recebe o óvulo fecundado e proporciona a ele todas as necessidades e condições que são imprescindíveis para o desenvolvimento de um bebê.

Quando há essa implementação, o corpo da mulher já inicia os primeiros processos a caminho do desenvolvimento de uma gravidez saudável. Vale salientarmos que existem alguns sintomas durante o período de nidação que podem transmitir sinais para a futura mamãe, embora nem todas passem por estes primeiros efeitos.

Quais são os sintomas da nidação?

Como mencionamos acima, existem alguns sintomas que podem promover pistas de que um bebê está a caminho. Mas, muitas mulheres não sentem estes sinais e muitas vezes os primeiros meses podem até passar despercebidos.

No entanto, quando a mulher tem a experiência de sentir as diferenças em seu corpo, ela se depara com os sintomas abaixo:

Um leve sangramento

Este sangramento é um sinal clássico de que houve a implementação do óvulo fecundado dentro do útero da mulher. O grande impasse está no fato de que muitas mulheres confundem esta fase com apenas um “escape” durante o período menstrual.

  Mentiras que as mulheres contam para o ginecologista geram consequências negativas

Ele surge a partir do momento em que o útero prepara uma verdadeira “caminha” para o bebê, mas, por N motivos a parede uterina pode sofrer com pequenos rompimentos de vasinhos e consequentemente geração de sangue, que precisa ser expelido para que tudo fique perfeitamente preparado para uma gravidez.

Cólicas

As cólicas também podem acompanhar o processo de nidação na mulher. Porém, a intensidade das dores pode ser bastante variável. E, por essa razão, muitas vezes este sintoma também é confundido com o período menstrual. É por isso que muitas mulheres que sonham com a gravidez ficam um pouco desconcertadas quando se deparam com este tipo de sangramento.

Porém, a melhor opção sempre será um exame de sangue para comprovar ou descartar a possibilidade de uma gravidez, e não apenas se basear nos sinais que o corpo pode emitir. Ainda mais que cada corpo é diferente e pode dar sinais sutis  ou mais intensos.

Enjoos e vômitos

Este são sintomas clássicos de gravidez. A mulher pode apresentar, inclusive, aversão a alguns alimentos, que faz com que ela sinta as náuseas e muitas vezes vomite. É aqui que a repulsa alimentar pode aparecer também.

Falha no período menstrual

Embora o pequeno sangramento possa ser confundido com o período menstrual, é certo que a intensidade e a coloração do mesmo é diferente da menstruação. Desse modo, a mulher pode se deparar com uma falha no período, um atraso.

Sono, cansaço e fadiga

Também são sinais clássicos do início de uma gravidez. Afinal de contas, o corpo feminino está passando por grandes transformações e precisa se preparar para desenvolver uma nova vida. Assim, toda a energia pode ser consumida a fim de manter tudo em equilíbrio.

Sensibilidade nos seios

Assim como acontece na TPM, a sensibilidade nos seios também pode aparecer durante o período de nidação. Isso ocorre por conta das variações hormonais no corpo da mulher, que podem inchar os seios.

nidação

Oscilação de humor

Toda oscilação hormonal pode impactar diretamente o humor de uma pessoa. No caso do início de uma gravidez, isso fica ainda mais evidente. É bastante comum que a mulher fique muito mais sentimental do que costuma ser, refletindo em atitudes no dia a dia.

  Conheça os sintomas da menopausa

Congestão nasal frequente

Pode até parecer uma característica bastante curiosa, mas acontece que as alterações hormonais na mulher podem fazer com que a mucosa nasal também se inche, gerando assim a congestão.

Aumento da temperatura basal

A temperatura basal aumenta assim que a implantação ocorre e pode ser medida ao acordar de manhã. A temperatura também pode ser maior durante a ovulação, graças ao aumento do hormônio progesterona. O mesmo também eleva a temperatura durante a implantação.

Prisão de ventre

O excesso de oscilações hormonais podem desencadear desequilíbrios intestinais na mulher, gerando assim a temida prisão de ventre.

nidação

Vontade excessiva de urinar

Este é um clássico sinal de que a mulher possa ter engravidado. A vontade excessiva de urinar surge a partir do momento em que o corpo da mulher direcione uma circulação sanguínea em maior quantidade na região próxima ao útero. Assim o organismo se prepara para desenvolver o bebê. Por conta dessa circulação em excesso, há também um aumento de pressão na região, que acaba pressionando inclusive a bexiga.

Como ocorre?

Depois que a mulher tem as práticas sexuais sem proteção ou sem consumir anticoncepcionais, o espermatozoide fica ativo por até 5 dias dentro do organismo feminino. Assim que a mulher ovula, em seu período fértil, o óvulo ficará “vivo” um período que varia de 12 a 24 horas. É durante este tempo que o espermatozoide precisará “correr” para fecundar o óvulo. Assim que a fecundação ocorre, o zigoto se deslocará até chegar ao útero. Este deslocamento pode durar até 5 dias.

A implementação propriamente dita ocorrerá em três estágios distintos. São eles:

  • Estágio 1: O novo embrião se unirá as paredes uterinas. É nesta fase que o embrião completa a sua primeira semana de vida.
  • Estágio 2:  A partir de então, o óvulo transpassará a parede uterina, a fim de manter-se protegido. É aqui que ele se adere ao endométrio, que nada mais é do que a mucosa que reveste toda a parede interna do útero.
  • Estágio 3: Aqui o embrião já terá se implantado de modo efetivo. O óvulo estará situado na cavidade endometrial e estará pronto para iniciar o seu processo de desenvolvimento.

Passado estes estágios, a mulher já estará efetivamente grávida. E agora, pequenas veias e artérias da membrana uterina podem sofrer um rompimento, ocasionando os sinais da nidação, como a perda de sangue.

  Síndrome do Ovário Policístico: Sinais, Sintomas e Tratamento

Qual a duração?

Como mencionamos acima, o período de nidação é dividido em três estágios. Somados, os três podem chegar até 13 dias. É claro que este tempo pode variar de mulher para mulher, mas, de maneira geral, 8 dias é a média de desenvolvimento do óvulo até a implementação do embrião dentro do útero.

nidação

Qual é o aspecto do sangramento durante a nidação?

Neste caso, há uma variação bastante expressiva. A mulher pode ter um sangramento mais avermelhado, ou então, um escape mais amarronzado. É justamente por conta dessa variação que muitas jovens acabam confundindo a nidação com o período menstrual. Vale salientarmos que a duração é bastante breve, do mesmo modo como a quantidade de sangue expelido.

Há mulheres que só notem a presença de sangue ao se limparem com papel higiênico. Porém, a sensação de cólica pode ser mais frequente, embora seja bastante suportável e não costuma atrapalhar o dia a dia.

Nidação pode causar mau cheiro?

Não. Na verdade, nem mesmo a menstruação de uma mulher pode causar mau cheiro. O que pode acontecer é que o contato do sangue com o oxigênio torne o ambiente propício para a proliferação de bactérias. Sendo que são estas bactérias que desencadearão o mau cheiro.

É por isso que tanto se fala do uso do coletor menstrual durante a menstruação, pois o mesmo evita o contato do sangue com o ar e não causa mau cheiro, já que não há espaço para proliferação de bactérias e fungos.

Em caso de dúvidas, contate o seu ginecologista

Agora que você já sabe o que é nidação, é hora de se atentar para os sinais que o seu próprio corpo emite. Lembre-se que, em caso de dúvidas, sintomas mais severos e outros questionamentos, sempre contate o seu ginecologista. Ele sempre estará disposto a lhe ajudar neste momento tão delicado de sua vida.

Uma gravidez pode ser algo muito bem planejado, ou não. Não obstante, em ambos os casos precisa ser tratado com atenção e carinho. Afinal, estamos falando da vida de uma mulher que está passando por uma grande e impactante transformação, não é mesmo?

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui