Você sabia que algumas medidas simples podem fazer com que você acabe restaurando a autoestima de forma natural e leve? Afinal, esse processo não precisa ser extremamente doloroso. Pelo contrário!

O autoconhecimento e o desenvolvimento da autoconfiança e autoestima, que são peças-chave para o nosso crescimento, podem ser trabalhadas no seu tempo, sem “forçar a barra”.

Para isso, algumas ações devem ser postas em prática, todos os dias. Acompanhe a seguir e saiba mais!

Para ler mais tarde: Emagrecimento X Imagem Corporal. Confira a diferença

restaurando a autoestima
Mulher se dando um abraço. Foto: Freepik

Restaurando a autoestima – Como recuperar a autoestima? Veja alguns passos!

Para recuperar a autoestima é necessário, antes de qualquer coisa, exercitar a sua paciência. Não adianta querer ser uma pessoa super confiante de um minuto ao outro. Isso não seria nada justo, e poderia ainda fadar a sua tentativa ao fracasso.

Afinal, somos seres humanos, temos medos, angústias e dúvidas. E tudo isso pode fazer com que o nosso desenvolvimento emocional precise de um tempo específico para acontecer de maneira bem-sucedida.

Leia mais: Alongamento ajuda o bem-estar físico e psicológico

O que estamos querendo dizer com isso é que você deve considerar os apontamentos abaixo como sugestões, e não regras. Isso é muito importante para que você consiga construir um desenvolvimento pessoal mais promissor.

Baseie-se sempre nas suas singularidades, nos seus limites e no seu tempo, ok? Então vamos lá:

1- Tente despertar pensamentos mais positivos nas situações de baixa autoestima

As crises de baixa autoestima estão recorrentes? Então comece a pensar mais sobre elas, quando aparecerem. Mas, não fique pensando nelas como algo que realmente é verdade. Comece a tentar mudar a perspectiva que você tem sobre determinada situação.

Por exemplo, se você sente que não está preparada para apresentar um trabalho em específico, reverta a maneira de pensar. Pense o lado positivo da história: você pode treinar a apresentação com uma pessoa que ama, e assim se sentir mais forte para atingir um bom resultado.

É claro que esse é apenas um exemplo. O ideal é que você sempre exercite a sua autoanálise para conseguir ver as situações com “outros olhos”.

Leia também: Indústria do Conhecimento: Saiba como transformar o seu conhecimento em um negócio online

2- Saiba vibrar com as pequenas conquistas – mesmo em meio às falhas

Um equívoco que muitas pessoas que estão recuperando a autoestima cometem é o de não saber aproveitar as pequenas vitórias. É como se elas, por serem pequenas, não fossem passíveis de comemoração. E isso não é interessante.

Afinal, se nem os pequenos esforços são recompensados, como podemos ter forças para tentar algo grande?

Pense naquela analogia de ter 1 milhão de reais. Para chegar lá, é preciso ter 1 milhão de vezes 1 real, certo? Certo. Então, se você negligenciar esses “pequenos reais”, qual será a chance de conquistar 1 milhão?

restaurando a autoestima
Menina restaurando a autoestima. Foto: Freepik

A mesma analogia vale para outras circunstâncias da vida. Se não levamos em conta as pequenas conquistas, torna-se inviável construir um futuro promissor baseado em pequenos degraus.

Seja mais grata a você e às suas conquistas menores!

Veja também: Saúde mental e trabalho remoto: Como manter o bem-estar trabalhando em casa

3- Não se compare e não aceite as concepções alheias

Você já deve estar cansada de ouvir isso, quando o assunto é “recuperando a autoestima”. Mas, é necessário mencionar mais uma vez.

Muitas vezes nos vemos com a autoestima baixa porque acabamos caindo no erro de nos compararmos com outras pessoas. E sempre esquecemos que todos têm falhas e qualidades, e focamos apenas nas nossas falhas e nas qualidades alheias.

Isso se torna uma bola de neve. Porque começamos comparando algo simples, como o cabelo. Depois, a pele. O estilo. A roupa. A vida. O salário. A forma de falar. Os títulos acadêmicos. E assim por diante.

E, em paralelo a essas comparações, há situações em que acreditamos nas críticas destrutivas de outras pessoas! Absorvendo concepções que sequer fazem sentido.

Cuidado com isso!

4- Restaurando a autoestima: Entenda o medo de não conseguir como uma chance de aprender algo novo

Restaurando a autoestima: Nós sempre sentimos medo. Sempre sentiremos medo. Não tem como sobreviver sem medo. O medo faz parte da sobrevivência de qualquer espécie. Mas, podemos aprender a conviver com ele.

restaurando a autoestima
Menina com autoestima. Foto: Freepik

Para isso, devemos entender a função do medo: basicamente, tememos algo que não sabemos o que ele pode nos provocar. Logo, temos medo porque, teoricamente, estamos sem uma determinada habilidade. Certo? Sim.

Então, ao invés de ver o medo como uma porta de entrada para desistir de algo, veja-o como a mola propulsora para aprender algo novo. Afinal, à medida que desenvolvemos uma nova habilidade, vamos perdendo o medo.

Quer um exemplo? O medo de dirigir por achar que não é boa para isso. Quando você começar a praticar, perceberá que a habilidade pode ser adquirida e, aos poucos, a sua autoestima aumenta nesse sentido, diminuindo o medo.

Leia mais: Baixa autoestima: o que é, quais os sintomas e como tratar

5- Socialize-se com aqueles que lhe fazem bem para ir restaurando a autoestima

Restaurando a autoestima: As pessoas que nos amam também podem nos ajudar quando estamos recuperando a autoestima.

Isso porque o ser humano é um ser social e, eventualmente, precisa desse contato afetuoso e até mesmo dessa aceitação. Por isso, se você tirar um tempinho para ficar com a sua família e seus amigos verdadeiros, você terá a chance de se sentir amada.

E quando nos sentimos amadas, automaticamente a nossa autoconfiança passa a ser mais explorada e desenvolvida.

6- Restaurando a autoestima Dê pequenos passos depois das suas frustrações

Restaurando a autoestima: Assim como o medo faz parte da vida de qualquer pessoa, a frustração também pode aparecer. Acontece!

Veja também: 7 maneiras de manter o bem-estar e a produtividade trabalhando em casa

Mas, o que fazemos com a frustração é o que poderá ditar se estamos recuperando a autoestima, ou jogando-a no lixo.

Muitas vezes, a frustração pode ser tão intensa que pensamos em desistir de nós e de tudo. E isso pode acontecer no trabalho, nos relacionamentos, nos estudos, etc.

restaurando a autoestima
Love Yourself restaurando a autoestima. Foto: Freepik

Porém, devemos buscar uma nova perspectiva para a situação, e ir nos desenvolvendo aos poucos.

Por exemplo, se a sua autoestima está abalada depois de uma traição, não saia querendo um relacionamento novo para “tampar o buraco” que ficou. Mas sim, vá se descobrindo sozinha primeiro… Se autoconheça, viva novas experiências!

Somente depois que você se sentir um pouquinho mais tranquila, procure conhecer gente nova. E deixe a coisa fluir naturalmente, de tempo em tempo. Assim você não se sobrecarrega e vai restaurando o seu amor-próprio.

Veja também: 10 dicas de hábitos saudáveis em isolamento social

7- Faça psicoterapia para ir restaurando a autoestima

Restaurando a autoestima: A psicoterapia e o acompanhamento de um psicólogo qualificado também podem ser uma boa saída para quem está recuperando a autoestima.

Isso porque é através dessa terapia que você passa a ter uma visão mais profunda de si. Assim, resgata as suas habilidades de gerenciamento emocional, além de ter uma visão mais clara sobre a vida e os outros.

restaurando a autoestima
Vetor de menina segurando um coração. Foto: Freepik

8- Pratique o seu autoconhecimento para acabar restaurando a autoestima

Restaurando a autoestima: Assim como a psicoterapia é interessante, o autoconhecimento, no dia a dia, também pode lhe ajudar no processo de recuperação da autoestima.

Isso porque é através desse conhecimento de si que você passa a perceber no que é realmente boa, e isso pode servir de alicerce na hora de construir um futuro mais promissor.

Afinal, quando conhecemos nossas habilidades intrínsecas, podemos trilhar caminhos mais sólidos, não é mesmo? Então comece a escutar mais quem você é! 😉

Leia agora: Você é feliz? Conheça 7 características que demonstram esse comportamento

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui