NadaFrágil.com.br

Como lidar com a estética infantil


Calila Galvão

O mundo da moda e da estética vem invadindo as nossas casas através de diversas mídias e estamos sempre comprando um sapato, pintando as unhas, usando maquiagem e todas as outras facilidades que o mundo da beleza pode nos oferecer. Mas, e quando isso começa a afetar os pequenos? Quando nossas filhas querem pintar as unhas e usar salto alto? Lidar com uma situação como essa pode ser difícil.

Como a beleza pode escravizar

Como lidar com a estética infantil

É muito comum que mulheres digam que não estão satisfeitas com o seu corpo. Queriam ter seios maiores ou menores, queriam um quadril mais largo e cinturinha mais fina. Todas essas questões mexem com a autoestima das mulheres e isso não deve ser passado para as crianças. A infância é uma época que podemos viver sem essas pressões, sem nos preocupar com as gordurinhas a mais e com as unhas sem pintar.

Não se engane com a indústria da moda. Elas ficam lançando novos produtos todo o tempo para mostrar que você precisa daquilo. Não importa quantos sapatos você tenha, aquele que foi lançado semana passada está faltando na sua coleção. De maneira indireta, é como se ele estivesse dizendo que você não é bonita o bastante e que precisa se adequar ao padrão. Agora imagine uma criança com todas as preocupações na cabeça. A vida dela, que deveria ser simples e fácil, será bem difícil.

Confira nossas dicas para decoração para quartos de crianças.

As mães alimentam esse desejo

Como lidar com a estética infantil

Algumas mães precisam saber a diferença de uma criança para uma boneca. Aqui no Brasil não é tão comum mas, nos Estados Unidos há muitos concursos de beleza para crianças. As filhas se tornam vaidosas desde muito cedo, fazem até mesmo alisamento químico nos cabelos, o que pode prejudicar a sua saúde. Desde muito jovens o ensinamento que é passado para elas é que a beleza é algo tão importante que se ganha prêmios e aplausos por ser a mais bonita. O resto não importa.

Cirurgias plásticas

Como lidar com a estética infantil

É assustadora a quantidade de adolescentes que fazem cirurgias plásticas. Querem colocar silicone, afinar o nariz e fazer lipoaspiração. Esse comportamento pode ter sido estimulado ainda na infância quando os pais não impuseram limites num determinado momento. A necessidade de cirurgia plástica chega cada vez mais cedo e cirurgias só devem ser feitas quando realmente houver necessidade, afinal de contas, por simples que pareça, é um procedimento invasivo e arriscado.

Os distúrbios alimentares se tornam cada vez mais comuns e os problemas começam bem cedo. Uma mãe que fica controlando a comida da criança sem uma real necessidade aparente está dizendo para ela que o corpo dela não é aceitável. O resultado disso é trazer graves problemas para o futuro quando ela começar a perceber as modelos famosas e querer alcançar um padrão de beleza impossível. É possível ver como a indústria da beleza se manifesta até mesmo na boneca.

Como lidar com a estética infantil

A Barbie não é a boneca mais famosa por acaso, ela tem um padrão de beleza típico norte-americano: cabelos lisos, loiros e compridos, olhos azuis, pele branca, cinturinha fina e corpo magro. As crianças acabam vendo o sucesso que a boneca faz e querem imitá-la achando que assim terão sucesso como seres humanos.

Todos somos diferentes

Já pensou como seria chato se todos fôssemos iguais? Essa é o questionamento que você deve fazer para os filhos quando eles começarem a se comparar com determinada pessoa que viram na revista ou na televisão. Tente mostrar para eles como são bonitos e como a sua beleza natural chama a atenção das pessoas. Como aquele cabelo cheio de cachinhos e molinhas pode ser muito mais legal e como eles combinam exatamente com o seu tom de pele.

Como lidar com a estética infantil

Colocar na cabeça das crianças a ideia das diferenças entre as pessoas pode ser a tarefa mais difícil que você terá pela frente. Num mundo onde a beleza padroniza tudo o que vê pela frente é difícil mostrar para os pequenos como uma pessoa ruiva, morena e loira são lindas e especiais, cada uma ao seu jeito. Não só os pais como também os educadores precisam mostrar isso para os pequenos.

Imponha limites

Como lidar com a estética infantil

As crianças ainda não sabem exatamente porque aquilo ou isto é errado. Dizer apenas não sem dar um verdadeiro motivo não é o mais correto. Tente explicar para a sua filha porque a tintura faz mal, que durante o processo o cabelo sofre muito e em alguns casos pode até começar a cair. Você pode até fazer desenhos no papel para descrever os problemas que certas vaidades podem causar. O futuro dela agradece.

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta