NadaFrágil.com.br

Como evitar problemas com as próteses de silicone


Calila Galvão

É difícil encontrar alguém que esteja completamente satisfeita com o seu corpo, principalmente as mulheres. Sempre querer mudar uma coisa, pode ser o nariz, pintar o cabelo, bronzeamento artificial, tirar uma costela para afinar a cintura e por aí vai. Num mundo onde a beleza impera com tanta força, não se render a ela é muito difícil.

Duas coisas estão preocupando os médicos, especificamente os que realizam cirurgias plásticas, muitas adolescentes estão começando a entrar no ritmo desde cedo, com apenas 14 ou 15 anos. As mulheres estão trocando as próteses de silicone por outras cada vez maiores para entrar na moda dos seios fartos. Mas como toda e qualquer cirurgia, colocar silicone oferece seus riscos.

Estatísticas sobre próteses de silicone

Os médicos já não se surpreendem com a idade de suas pacientes. A grande maioria delas possuem menos de 18 anos. Antes, elas estavam presentes nas salas de cirurgia para corrigir o nariz ou a orelha ou retirar uma pinta, coisas que poderiam virar motivo de chacota entre os colegas da escola. Hoje, a festa de 15 anos e a viagem para a Disney virou coisa de criança. Elas agora pedem aos pais uma prótese de silicone. Elas querem virar mulher cada vez mais cedo e um dos fatores pode ser o grande apelo sexual das revistas e da tv com modelos e atrizes de corpos esculturais e com padrões de beleza cada vez mais norte-americanos. O número desse tipo de cirurgia aumenta 10% a cada ano que passa.

Os Estados Unidos lideram a lista dos países onde mais se faz cirurgias plástica, mas o Brasil vem logo atrás bem juntinho. A média do tamanho das próteses ficam em torno de 200 ml a 250 ml, antes esse número ficava em torno de 140 a 150 ml. Os fabricantes nem estão mais fazendo próteses de 120 ml, já começam a partir de 140. A idade também mudou bastante. Antes, as mulheres que mais procuravam o implante eram as que estava acima dos 40 anos de idade e queriam driblar o tempo. Hoje, cada vez mais jovens, as mulheres procuram os cirurgiões para se sentirem mais bonitas e desejadas, como as mulheres que olham pela tv.

Como escolher a prótese do tamanho certo?

A primeira coisa que você deve se preocupar é com a sua segurança. Escolha um médico de confiança, que tenha registro na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, porque assim, você pode se certificar de que ele não é um charlatão qualquer e tem especialidade na área. Verifique também o estado da clínica na qual fará a cirurgia. Ter instrumentos para um procedimento de ressuscitação como desfibrilador e uma equipe devidamente treinada para participar de um procedimento de urgência é indispensável. Paradas cardiorrespiratórias podem acontecer em qualquer tipo de cirurgia.

Durante a consulta não tenha vergonha de perguntar. É bom avaliar quais as especialidades, cursos, pós-graduações que o seu médico já fez, afinal de contas é seu direito saber quem é o profissional que vai fazer um procedimento tão importante. Escute com atenção o que ele tem a lhe dizer. Pense que ele tem muito mais experiência que você na área, já fez milhares de cirurgias iguais a esta e que a opinião dele deve ser levada em conta antes da escolha final.

Feito isto, é hora de escolher qual o melhor modelo para o seu tipo físico. As próteses podem diferir em três aspectos: altura, largura e projeção. Com a ajuda do seu médico, escolha com paciência e muito cuidado. Todos os procedimentos antes e depois de uma cirurgia devem ser analisados com os mínimos detalhes. Só existe uma regra que deve ser seguida: o diâmetro da prótese deve ser menor ou igual ao contorno da mama. Se for maior, o resultado final vai ficar estranho e com uma estética ruim porque o contorno da prótese irá sobressair ao da mama.

O volume da prótese não pode ser decidido apenas pelo paciente ou apenas pelo médico. Os dois devem entrar num consenso. Um volume muito grande pode danificar a pele e causar estrias, afinal o sistema tegumentar tem um limite de resistência e pode não suportar todo o peso do implantes. Um seio de grande tamanho pode gerar também dores na coluna torácica superior e causar uma patologia chamada de cifose.

Existem duas formas básicas de silicone: os de implante baixo, que são para aquelas que desejam um resultado mais discreto e suave e o implante alto, que são os mais pedidos nos consultórios e que servem muito bem para as mulheres de idade já avançada e pelo mais flácida. A superfície da prótese também é importante. Hoje é possível encontrar os texturizados, que possuem microrrugosidades e revestidos de espuma de poliuretano, estes são encontrados apenas nos Estados Unidos por enquanto.

Já é possível também visualizar os resultados mesmo antes da cirurgia ficar pronta. Os métodos mais convencionais são colocar as próteses debaixo da blusa ou ver fotos de mulheres com aquele volume. Mas com a tecnologia avançando tão rapidamente, já é possível, através de um programa de computador ver uma imagem em 3D da paciente com as mamas escolhidas.

Veja também nossos artigos sobre lipoaspiração.

Dúvidas sobre próteses de silicone

Muitas perguntas norteiam os pensamentos das mulheres que desejam colocar uma prótese de silicone para aumentar os seios. Veja a resposta para as principais dúvidas:

Como evitar problemas com as próteses de silicone

  • A prótese pode vazar se houver um trauma intenso ou então com o desgaste do próprio material com o passar do anos;

  • Se você pratica exercícios físicos e não consegue ficar sem eles, prepare-se para ficar longe das academias, por pelo menos 60 dias. Esse é o prazo ideal para não ter qualquer risco de ruptura da cicatriz;

  • As próteses mais modernas costumam durar de 15 a 20 anos sem precisar de troca;

  • Elas não atrapalham os exames de mamografia;

  • Quanto a amamentação, o normal é que o silicone não atrapalhe essa tarefa já que são colocados atrás das glândulas mamárias. Mas se a prótese for muito grande, pode causar uma pressão nas glândulas e impedir o fluxo;

  • A idade mínima mais adequada para se fazer o implante, segundos os médicos, é de 17 anos. Mas é preciso avaliar se os seios já se encontram no estágio 4, ou seja, se já estão na fase adulta;

Tomando todos esses cuidados antes de realizar uma cirurgia para aumentar as mamas, vai ser difícil de se arrepender depois, mas pode acontecer. Se algo do tipo ocorrer, o jeito é fazer uma outra cirurgia para colocar implantes menores ou então retirá-los de vez. Lembre-se que, você pode trocar de médico a qualquer momento se não se sentir confortável ou mesmo desconfiada, mas o melhor é que isso seja feito antes do procedimento. Tenha em mente de que a sua saúde vem sempre em primeiro lugar.

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *