NadaFrágil.com.br

Qual a importância do pré-natal?


Calila Galvão

Apesar de ser um assunto muito batido, infelizmente ainda existem mulheres que não têm noção da importância do pré-natal e só procuram um médico quando a gestação está bastante avançada. É justamente ele que vai garantir que a gestação seja saudável, tanto para a mãe quanto para a criança.

Qual a importância do pré-natal?

Várias são as doenças que podem acometer as gestantes e causar um mal irreparável para a própria ou para o bebê. Por exemplo: diabetes, infecções congênitas, pressão alta, descolamento da placenta, infecção urinária, entre outras. Por tudo isso se faz extremamente necessário que a gestante realize o pré-natal desde o início da gravidez.

Veja quais são os cuidados básicos para se ter durante a gravidez.

O que exatamente o pré-natal?

É uma série de exames que são realizados ao longo da gestação de acordo com cada período. O médico que dá o diagnóstico da gravidez já inicia a marcação do pré-natal e explica para a futura mãe tudo o que é necessário e também a importância de cada exame. Mas quais são esses exames? Veja abaixo a lista:

Qual a importância do pré-natal?

  • Hemograma: ele é feito logo no início e ao longo da gestação. Serve para identificar uma série de alterações que possam identificar uma anemia ou processo infeccioso.
  • Glicemia: é pedido logo no início e novamente entre a 24ª e 38ª semana de gestação quando a gestante apresenta maior dificuldade de assimilar o açúcar.
  • Sistema ABO e fator Rh: feito no início da gestação esse teste é de fundamental importância para saber a compatibilidade do feto com a mãe. Também é essencial para uma próxima gestação, impedindo que os anticorpos formados na mãe afetem o próximo bebê que poderá chegar algum dia.
  • Sorologia HIV e VDRL: são solicitados na primeira consulta sendo que o HIV indica a presença do vírus da AIDS e o VDRL, o da sífilis.

Qual a importância do pré-natal?

  • Reação para taxoplasmose e rubéola: são pedidos na primeira consulta e no terceiro trimestre.
  • Exame de urina: é mais um exame de rotina do que próprio para gestantes. É solicitado no início da gestação e pode ser pedido em qualquer outro momento.
  • Exame de fezes: equiparado ao de urina e é necessário para ver se há ou não presença de verminoses.
  • Sorologia para hepatite B e C: solicitado na primeira consulta para ver se há a presença dos vírus.
  • Papanicolau: detecta o câncer do colo do útero e deve ser feito na primeira consulta caso a gestante não esteja em dias com o exame.
  • Ultrassom: é realizado no início e poderá ser feito novamente quantas vezes o médico achar necessário. É indicado para identificar a formação do feto e identificar doenças cromossômicas.
  • Ultrassom morfológico: realizado no segundo trimestre e também indica malformações.

Quer engravidar? Veja essas dicas para aumentar a sua fertilidade ou a do parceiro.

Vacinas e suplementos

Além de todos esses exames o médico irá verificar se a carteira de vacinação da gestante está em dias e também indicará a suplementação de algumas substâncias necessárias. São basicamente duas as vacinas que as grávidas costumam tomar: para gripe a qualquer momento e a DTPA que serve pra difteria, tétano e coqueluche a partir da 27ª semana.

Qual a importância do pré-natal?

Quanto às suplementações temos o ácido fólico, que deve ser ingerido 5 mg por dia durante o primeiro trimestre (sendo que o ideal é a ingestão dele ao menos 3 semanas antes da gravidez). Ele tem como objetivo evitar o fechamento antecipado do tubo neural, órgão que faz parte do sistema nervoso.

Quanto ao ferro, nem sempre é necessário. A não ser nos casos em que a gestante já apresente uma anemia ferropriva ou já apresentou em algum momento da vida. Para tanto é necessário observar o exame de sangue para saber em quanto estão os níveis de ferro da gestante.

Facebook NadaFrágil.com.br

Deixe uma resposta