assédio no trabalho é, infelizmente, uma realidade muito recorrente no universo corporativo. Ele acontece tanto no sentido moral, quanto sexual, e pode afetar expressivamente a saúde mental da vítima, levando-a inclusive ao pedido de demissão.

Porém, este não precisa ser o único rumo. É possível tomar algumas atitudes que impeçam o agressor de seguir adiante com suas atitudes, além de tomar medidas judiciais para lidar com o problema. E para lhe ajudar dessa maneira, fizemos este guia com informações importantes para você, acompanhe.

Para ler mais tarde: Sai Pra Lá: aplicativo denuncia o assédio nas ruas

Quais são os tipos de assédio no trabalho

Lembre-se que o assédio no trabalho não diz respeito apenas às questões sexuais. Mas sim, podem estar atreladas à questões morais. Sendo assim, se você se sente intimidada, sofre bullying, exclusão e humilhação, você também está sofrendo assédio! E, portanto, precisa tomar as atitudes que discorreremos neste texto de hoje.

assédio no trabalho
Homem gritando com mulher no trabalho. Foto: Freepik

Sendo assim, atente-se para as características dos dois tipos de assédio:

  • Assédio no trabalho de cunho moral: Intimidação, humilhação, exclusão, dentre outras atitudes deste cunho podem ser consideradas como assédio moral.
  • Assédio sexual: Toques no corpo, elogios desagradáveis, comentários de cunho sexual e outras atitudes neste sentido são consideradas assédio sexual.

Um bom termômetro para compreender se você está sofrendo assédio no trabalho é o seu conforto diante das situações corriqueiras. Se há grande desconforto, pode ser um sinal de alerta para a situação.

Veja também: Mulher forte: 30 frases para mulheres fortes repetir todo dia

Como lidar com o assédio no trabalho? O que fazer neste tipo de situação?

O assédio no trabalho nos coloca em uma situação muito complicada, porém, requer atitudes de nossa parte que possam apartar o problema e cortar de vez com as atitudes do agressor. Veja abaixo as nossas 6 dicas sobre o assunto:

assédio no trabalho
Mulher chorando em frente ao computador sendo tocada nos ombros. Foto: Freepik

Estabeleça limites claros

O primeiro passo é tentar “cortar o mal pela raiz”. Para isso, você precisa ser assertiva quanto aos comportamentos do seu chefe ou colega que possam estar ultrapassando limites confortáveis.

Seja clara e precisa, apontando que tipo de comportamento do agressor lhe provocou desconforto. Fale sobre o assunto diretamente com ele, demonstrando assertividade e segurança na fala. Ele precisa estar ciente que determinada atitude não é adequada para o ambiente corporativo.

Vale destacarmos que este “corte” deve acontecer o quanto antes, pois isso dará mais margem para a firmeza em sua colocação. Aponte o comportamento e ordene que o mesmo não se repita.

Veja também: Assédio Sexual Impede o Progresso da Mulher

Documente os episódios de assédio e verifique se há alguma testemunha

É muito importante que você encontre uma forma de provar o que está acontecendo. Sabemos que pode ser um tanto difícil, tratando-se de assédio no trabalho, mas se você tiver conversas, áudios, e-mails ou qualquer tipo de documento neste sentido, salve com segurança e armazene apontando a data e o horário do ocorrido.

Quando acontecer pessoalmente, anote o horário, o cunho do assédio e o local. Verifique se há testemunhas em sua volta e conte com elas para que a situação seja documentada de maneira judicial.

assédio no trabalho
Mulher demonstrando desconforto ao estar sendo tocada por um homem. Foto: Freepik

Assim, caso o agressor não recue em suas atitudes abusivas, você poderá entrar em contato com autoridades e até mesmo com o próprio RH da empresa, requerendo que atitudes sejam tomadas de maneira corretiva.

Leia mais: Feminismo: algumas informações sobre o conceito

Converse com o RH da sua empresa e apresente as provas

Se os dias passarem e o assédio no trabalho persistir, é hora de você agir de uma maneira mais “punitiva” e precisa. Para isso, utilize os documentos que você armazenou no passo anterior para levar ao RH da sua empresa.

Apresenta todas as circunstâncias e conte com a ajuda de testemunhas para provar o que você está relatando. É preciso ter coragem e enxergar o porquê da sua atitude, a fim de não sentir desconforto e não querer voltar atrás.

Outra medida que pode acontecer antes de ir diretamente no RH, é conversar com o supervisor direto do agressor. Da mesma maneira, será necessário apresentar as provas e os documentos que você uniu. Se possível, conte com o auxílio de alguém de confiança para lhe acompanhar, a fim de lhe dar o suporte e o conforto necessário para enfrentar a situação.

assédio no trabalho
Mulher desconfortável com homem tocando em seu ombro. Foto: Freepik

Veja também: Os Encoxadores e a Campanha “Eu não mereço ser estuprada”

Procure o sindicato da sua categoria

Em muitas situações não é possível denunciar o assédio no trabalho para nenhum supervisor e tampouco para o RH, tendo em vista que o agressor pode ser o próprio dono da empresa, por exemplo.

Neste caso, a situação deve ir um pouco além, fazendo com que você tome a atitude de procurar o sindicato da sua categoria. É nestas situações que o sindicato poderá lhe proteger e lhe dar os subsídios necessários para que você lide com a situação da melhor maneira.

Porém, sabemos que quando este tipo de atitude é tomada, a sensação de desconforto no trabalho poderá ficar ainda mais intensa. Nestes casos, não hesite se sentir desejo em sair da empresa na qual trabalha. Lembre-se que o seu autocuidado e a sua saúde mental valem mais que uma posição no emprego e um salário, ok?

Veja também: Mulheres e o Assédio nas Ruas

assédio no trabalho
Mulher tentando se desvencilhar das mãos do colega de trabalho rude. Foto: Freepik

Assédio no trabalho: Você pode procurar a polícia

O assédio no trabalho é algo grave que precisa ser combatido. Por isso, caso você se sinta ameaçada, não hesite em buscar auxílio da polícia. Cabe ainda processar o agressor por suas atitudes, caso você se sinta confortável para esta decisão.

O assédio no trabalho é inadmissível, e você precisa estar ciente que a polícia e a Lei estão ao seu lado neste tipo de situação. Ninguém merece este tipo de agressão, tendo em vista que ela pode acabar prejudicando não somente a vida profissional, como também a pessoal da vítima.

Faça um B.O e apresente os documentos que já citamos anteriormente. Quanto mais informações você tiver, melhor será para o desenvolvimento do processo.

assédio no trabalho
Mulher tentando se desvencilhar dos braços do colega de trabalho. Foto: Freepik

Veja também estas dicas: 3 passos para ter mais autoconfiança

Não tente enfrentar a situação sozinha!

É sempre bom termos alguém de confiança ao nosso lado em situações como essa. Sendo assim, converse com uma amiga, um familiar ou até mesmo um psicólogo. Assim você cria um suporte emocional para lidar com as situações adversas que surgirão ao longo do caminho.

assédio no trabalho
Homem alterado gritando com mulher no trabalho. Foto: Freepik

Lembre-se que, infelizmente, este tipo de situação é muito comum, e você não está sozinha na batalha contra o assédio no trabalho. Mas, se todas nós unirmos as nossas forças, poderemos melhorar o mundo em nossa volta. Pense nisso!

Leia também:

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui