Síndrome da Cabana vem sendo comentada com mais frequência, justamente por estarmos vivendo uma pandemia. Em suma, trata-se de um medo excessivo de sair de dentro de casa, ocasionado pelo anseio de contrair o novo vírus e assim ficar diante dos efeitos colaterais da doença.

Porém, sabemos que apesar das adversidades, ainda precisamos seguir com as nossas atividades essenciais, como compra no mercado e até mesmo a compra de remédios em farmácias. Mas, e quando o medo impede até estas atividades? O que fazer? Como lidar? Veja tudo sobre este assunto em nosso artigo de hoje!

Para ler mais tarde: Estresse tóxico: O que é? Como evitá-lo e quais as consequências?

O que é a Síndrome da Cabana?

A Síndrome da Cabana está diretamente relacionada com longos períodos em que o indivíduo passa em um isolamento social, exatamente como tem acontecido neste ano de 2020.

síndrome da cabana
Mulher assustada colocando a mão em frente ao rosto. Foto: Freepik

Para alguns indivíduos, esta situação pode servir de gatilho gerador de sensação de medo excessivo de sair de dentro de casa. É como se, depois de tanto tempo isolado, a saída pudesse ser extremamente perigosa e aterrorizante.

Vale lembrarmos que esta síndrome não é considerada um transtorno mental, mas apenas diz respeito com uma condição que o sujeito possa estar vivendo em determinado momento.

A Síndrome da Cabana, na realidade, pode ser vista como uma ansiedade exagerada ao pensar na possibilidade de ter que sair de dentro de casa. O sujeito se sente completamente sem controle, levando-o a uma angústia elevada, que o impede de seguir com a vida normal.

Veja também: Ansiedade social: dicas para amenizar os sintomas

É possível ainda se deparar com alterações de sono e vigília, uma vez que o desequilíbrio pode aparecer no corpo, por conta dos sintomas da ansiedade e estresse gerados pelo medo excessivo.

síndrome da cabana
Mulher demonstrando ansiedade enquanto lê. Foto: Freepik

Entretanto, a Síndrome da Cabana não se associa com um mero “medo de sair de casa”, especialmente em tempos de pandemia. Ou seja, se você sente receio de se expor, ainda está dentro do considerado “não patológico”. Porém, quando este medo ultrapassa limites, impedindo que você consiga pôr em prática as suas obrigações, provocando fortes sintomas de ansiedade, é preciso ficar alerta.

Síndrome da cabana: Por que ela acontece?

A Síndrome da Cabana acontece justamente pelo fato de o indivíduo viver um período longo de isolamento social. Assim, adapta-se a esta realidade adversa, sentindo uma necessidade excessiva de seguir com sua vida apenas dentro de casa.

Logo, qualquer menção de contato social e com o mundo lá fora pode ser visto como um verdadeiro inimigo. O medo de lidar com as situações sociais e o medo de contrair o vírus, impedem o indivíduo de dar continuidade às suas atividades cotidianas.

É como se o organismo e o cérebro se adaptassem com a ideia de que apenas dentro de casa é seguro, e que fora dela pode ser extremamente hostil.

Leia também: Depressão – Sintomas, Causas e Tratamentos

síndrome da cabana
Mulher tensa enquanto caminha na rua. Foto: Freepik

É claro que o vírus ainda é uma incógnita, e todos nós ainda temos medo. Porém, quando este medo ultrapassa limites, o indivíduo vive episódios de angústia, ansiedade e estresse extremos, impedindo-o de pôr em prática atividades simples, como fazer compras.

Além disso, ao sair de casa, a sensação de descontrole é tanta que a pessoa sente uma necessidade fora do comum de ter que voltar para casa. E com isso, acaba abrindo mão de seus afazeres cotidianos.

Quais os sintomas da Síndrome da Cabana?

Os sintomas da Síndrome da Cabana, em essência, relacionam-se com o medo de sair do ambiente doméstico, especialmente para lidar com situações em que é necessário o contato com pessoas no mundo externo. Entretanto, outros sinais podem estar associados ao quadro. São eles:

  • Medo de ter contato com pessoas que não moram junto;
  • Sensação de descontrole ao pensar em sair de casa;
  • Estresse e ansiedade exagerada quando há a cogitação de ter que sair do ambiente doméstico;
  • Sono e vigília descontrolado, demonstrando um desequilíbrio inclusive hormonal, por conta dos episódios de estresse extremo;
síndrome da cabana
Mulher com medo cobrindo o rosto com a mão. Foto: Freepik
  • Tentativas constantes de trazer para dentro de casa qualquer atividade que deveria acontecer do lado de fora;
  • Compulsões alimentares também podem servir de alerta. O sujeito pode “compensar” seus anseios na comida, especialmente em opções menos saudáveis e mais “prazerosas”;
  • Desmarca compromissos e descumpre com tarefas externas de maneira constante e sem nenhum outro motivo que não seja a falta de desejo de sair de casa.

Veja mais: Fobias: Não Deixe o Medo se Transformar em uma Fobia

Como lidar com a Síndrome da Cabana?

Para lidar com a Síndrome da Cabana, além da psicoterapia, existem medidas que você pode tomar a partir de agora. São elas:

  • Estabeleça uma rotina gradativamente: Passamos por muitas mudanças nos últimos meses, e não será da noite para o dia que tudo voltará ao normal. Com isso em mente, procure estabelecer uma rotina nova de uma maneira gradativa. Inicie indo ao mercado, avance para saídas até à farmácia ou padaria. Vá se reorganizando para a rotina de trabalho, e assim por diante.
  • Mantenha os cuidados essenciais: Sabemos que muitos cuidados ainda precisam ser mantidos para garantir o bem-estar e a segurança. Sendo assim, use isso ao seu favor! Invista em máscaras de qualidade, utilize álcool em gel e lave as mãos com água e sabão quando tiver contato com ambientes com muita circulação de pessoas.
síndrome da cabana
Mãos desfocadas demonstrando sentimento de medo. Foto: Freepik
  • Encontre atividades saudáveis e prazerosas na vida externa: Antes de ter os contatos sociais, procure por atividades saudáveis e prazerosas ao ar livre. Vale uma caminhada, corrida, passeio em ambientes abertos e ventilados, enfim.
  • Respeite o seu tempo: Não queira tudo para ontem. Estamos todos passando por desafios, e precisamos lidar com a situação de uma forma que respeite o nosso tempo e nossos anseios. Por isso, busque sair aos poucos, com cuidado, atenção e sem forçar a barra. Quanto mais você respeitar este tempo e souber ir aos poucos, melhor poderá ser.
  • Mantenha o contato social, mesmo que de maneira virtual: Mesmo que o contato não ocorra pessoalmente, é importante que você busque estar por perto das pessoas que ama. Isso cria um senso de comunidade e aproxima você do que acontece fora da sua casa.
  • Faça psicoterapia: Sem dúvidas, a psicoterapia é uma forte aliada neste processo. Experimente a terapia online e descubra novas possibilidades para a sua vida.

Leia também: Aromaterapia – Aromas que Curam!

Síndrome da cabana: É normal ter medo de sair de casa em tempos de pandemia?

Sim, é muito normal. O medo está associado com o anseio de não saber lidar com o desconhecido, e trata-se de um sentimento saudável e natural do nosso corpo. É como se o nosso cérebro disparasse um alerta para que possamos escapar do “estranho” e assim garantir a sobrevivência.

síndrome da cabana
Mulher cobrindo o rosto com as mãos por conta do medo. Foto: Freepik

Porém, quando este medo se torna um impeditivo para seguir com as tarefas da vida, e ainda, provoca quadros de estresse, distúrbios alimentares e de sono, é preciso atenção. O medo faz parte da vida, mas o excesso pode sim estar denunciando uma patologia.

Sendo assim, se notar que os sintomas da Síndrome da Cabana se encaixam com o seu perfil, procure um profissional de saúde mental para sanar dúvidas e pensar em possíveis alternativas para o problema.

Lembre-se que você não precisa enfrentar o problema sozinha. Existem pessoas qualificadas para lidar justamente com questões neste sentido. Cuide-se!

Leia também:

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui